Artigos Pedagógicos
  Avaliação Educacional
  Escola Digital
  Educação a Distância
  Educação Inclusiva
  Educação Infantil
  Estrutura do Ensino
  Filosofia da Educação
  Jovens e Adultos
  Pedagogia Empresarial
  Outros Assuntos
 História da Educação
 Linhas Pedagógicas
 Metodologia Científica
 Projetos/Planejamento
 Biografias
 Textos dos usuários

 Listar Todas
 Por Níveis
  Educação Infantil
  Ensino Fundamental I
  Ensino Fundamental II
 Por Disciplinas
  Matemática
  Língua Portuguesa
  Ciências
  Estudos Sociais
  Língua Inglesa
  Língua Espanhola

 Jogos On-line
 Desenhos para Colorir
 Contos e Poesias

 Glossário
 Laifis de Educação
 Estatuto da Criança
 Indicação de Livros
 Links Úteis
 Publique seu Artigo
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Refletindo sobre a Educação Infantil de Práticas Docentes Espontaneístas e a Construção do Conhecimento

Autor: Valdina Augusto de Souza
Data: 21/03/2016
Pensar sobre a educação infantil nos tempos atuais é considerar que se faz necessário um espaço com função educativa que possa ser reconhecido como escola para a infância, por considerar aspectos específicos desta faixa etária que estão em desenvolvimento. São eles aspectos cognitivos, emocionais e sociais, devendo também haver um olhar cuidadoso sobre a importância de se integrar o educar e o cuidar, que são aspectos indissociáveis na infância.

A escola de educação infantil deve ser um espaço onde as ações docentes possam ser planejadas para estimular as aprendizagens significativas, desenvolvendo atividades desafiadoras que estimulem o pensamento através do levantamento de hipóteses e soluções de problemas propostos, atividades estas planejadas com o objetivo de que as crianças possam progredir e construir estruturas mentais elaboradas, tornando o pensamento mais complexo, podendo cada vez mais agir e resolver situações conflitantes com maior independência, tanto do ponto de vista cognitivo como das relações sociais.

Na escola o brincar deve ter lugar privilegiado nas atividades planejadas pelos docentes. O ato de brincar conduz a criança a experimentar, descobrir, inventar, aprender e conferir habilidades além de estimular curiosidade e autoconfiança, a autonomia e ainda proporcionar o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da coordenação motora. É uma ação que vai além da busca de prazer, é uma forma de lidar com os desejos, irritações, frustrações entre outros sentimentos que possam inconscientemente existir dentro da criança, possibilitando o equilíbrio emocional.

Ensinar crianças pequenas envolve que o professor tenha conhecimentos específicos sobre o desenvolvimento infantil, possua sensibilidade para desenvolver uma postura profissional mediadora, podendo planejar e orientar atividades que garantam aprendizagens significativas.

Considerando esse objetivo, podem-se levar em consideração os eixos do referencial curricular nacional para educação infantil (linguagem oral e escrita, matemática, movimento e artes visuais). Através dos conteúdos desses eixos o professor poderá planejar projetos didáticos, selecionar temas para elaborar atividades que, através da intervenção adequada do professor, possam conduzir os alunos a uma progressiva aprendizagem e, consequentemente, o desenvolvimento cognitivo.

Estudos atuais sobre o desenvolvimento infantil e suas aprendizagens nos revelam que não podemos mais conceber práticas educativas nas escolas de educação infantil que centrem o seu trabalho docente na memorização de letras ou sílabas, cópia pela cópia de letras, sílabas ou palavras, pintura de desenhos estereotipados de datas comemorativas, atividades de coordenação motora que privilegiem o traçado sem significado para as crianças ou práticas que envolvam brincadeiras/desenhos livres sem repertório, sem mediação do professor e sem planejamento que levem à aprendizagem conceitual.

O professor de Educação Infantil deve perceber-se como profissional com o dever de planejar, orientar e conduzir sua prática docente para que, dentro de um ambiente alegre, com regras bem definidas e tranquilas, possa desenvolver um trabalho dinâmico, criativo e de grandes aprendizagens.

Uma educação de qualidade para os pequenos envolve que o professor os considere cidadãos de direito.

Bibliografia
KISHIMOTO, Tizuko - Jogo, Brinquedos e Brincadeiras e a Educação. São Paulo: Cortez, 1997.
GROSS, K. - O brincar como fator psicológico. Lisboa: Artigo, 1941.
Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, Volume 1, 2, 3.
 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Pedagogia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.