Artigos Pedagógicos
  Avaliação Educacional
  Escola Digital
  Educação a Distância
  Educação Inclusiva
  Educação Infantil
  Estrutura do Ensino
  Filosofia da Educação
  Jovens e Adultos
  Pedagogia Empresarial
  Outros Assuntos
 História da Educação
 Linhas Pedagógicas
 Metodologia Científica
 Projetos/Planejamento
 Biografias
 Textos dos usuários

 Listar Todas
 Por Níveis
  Educação Infantil
  Ensino Fundamental I
  Ensino Fundamental II
 Por Disciplinas
  Matemática
  Língua Portuguesa
  Ciências
  Estudos Sociais
  Língua Inglesa
  Língua Espanhola

 Jogos On-line
 Desenhos para Colorir
 Contos e Poesias

 Glossário
 Laifis de Educação
 Estatuto da Criança
 Indicação de Livros
 Links Úteis
 Publique seu Artigo
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

  
A Importância da Leitura na Vida do Ser Humano

Autor: Márcia Regina Selle Oliveira
Data: 27/06/2017
Resumo

Aborda-se neste trabalho aspectos sobre leitura como sendo fator primordial educativo. A leitura, além de apresentar relevante contribuição ao processo ensino/aprendizagem, em geral constitui-se num meio eficaz de aperfeiçoamento da competência linguística, principalmente no nível vocabular. O bom domínio da habilidade em leitura é o melhor instrumento que o indivíduo adquire para penetrar no imenso campo de possibilidades que a ciência e a cultura lhe oferecem. Reflete sobre a importância e a necessidade de partilhar experiências de leitura, de falar da relação apaixonada que às vezes acontece entre o leitor e determinados textos. Mostrar que ler não é apenas uma "atividade escolar", a mais mecânica e descontextualizada, mas desde cedo, plena de significação. Leitura por prazer, leitura que nos acompanhe pelo resto da vida, leitura como fonte inesgotável de experiências insubstituíveis.

Palavras-chave: Leitura. Concepções de leitura. Importância.

A LEITURA

Entende-se por leitura, a capacidade de reproduzir fonicamente o texto, compreendê-lo e interpretá-lo. Consiste em ter gosto na leitura com sede de sempre aprender mais e mais, sem aceitar pacificamente o conteúdo veiculado pelo texto.

A leitura é responsável por desenvolver no indivíduo a ordenação de ideias e a habilidade de decodificar mensagens formuladas em níveis que fogem ao código comum de comunicação oral. Se outros meios de comunicação social permitem a execução do processo de informação de forma mais eficiente, é a leitura que melhor possibilita o contato com a realidade ou cultura, de forma a ser aprendida no seu todo.
A leitura configura-se como uma atividade linguística que viabiliza ao sujeito angariar subsídios para compreender, participar e intervir em sua realidade. Isto se torna possível pela atribuição de sentidos, através de uma relação dialética entre autor, e leitor e texto. Seguindo essa linha, percebe-se que tal relação será influenciada pelos conhecimentos prévios e pela vivência histórico-cultural do autor e do leitor, sendo o texto um agente mediador entre ambos. (GROTTA, 2000).
A diferença entre aprender por instrução e aprender por descoberta é primordialmente uma diferença nos materiais sobre que trabalha o educando. Quando está instruindo-descobrindo com o auxílio do educador, o estudante atua sobre algo que lhe é comunicado. Realiza operações com o discurso escrito ou oral. Aprende por atos de ler e ouvir.

Quando, no entanto, o educando avança sem auxílio do educador, as operações de aprendizagem se perfazem antes sobre a natureza ou o mundo, que sobre o discurso. As normas desse aprendizado constituem a arte da descoberta.

Essa descoberta só vai acontecer se o educador fornecer aos educandos oportunidades de conhecimentos dos mais variados textos, para que ele leia e tome gosto por conhecer e adquirir novos conhecimentos.

Cada leitor busca entender a forma singular de comunicação para captar a mensagem escrita de forma mais fiel com o que o autor pretendeu transmitir. O leitor coloca-se em contato com o pensamento do autor. Como Bach apud Orlandi (1996, p.61), "só existe comunicação quando o leitor é capaz de retirar a mensagem de um texto. Ler não é reproduzir mecanicamente o texto".

O leitor deve estabelecer um paralelo entre os pensamentos propostos pelo autor e a sua forma característica de enfocar a realidade com a forma individual que ele próprio, leitor, tem de encarar a realidade. A partir daí surge a compreensão autêntica, que é o objetivo da leitura.

Torna-se necessário para isso encontrar formas, as mais eficientes possíveis, de fazer com que o nosso educando sinta-se motivado à leitura, não por obrigação ou cobrança de alguém e sim por necessidade de adquirir conhecimentos e habilidades necessárias à vida do ser humano. O mais importante neste mundo competitivo é saber ler e entender o que lê, para ter um bom desempenho na vida profissional. Para isso, também é necessário que a educação seja de qualidade.

Hoje percebe-se que os educandos apresentam dificuldades em produzir textos com coerência e coesão. Essa dificuldade apresentada vem do baixo nível de conhecimento que os mesmos possuem. Isso se deve a um fator muito importante que é a leitura e que só terá sentido se ensinada por um leitor para leitores.

A prática educativa deve ser repensada a atender aos anseios, aos interesses e curiosidades dos educandos no processo ensino-aprendizagem. A leitura é o agente do conhecimento dos valores presentes na sociedade, seu emprego em sala de aula ou qualquer outro cenário, desencadeia o alargamento dos horizontes cognitivos do leitor.
Acredita-se que o tempo de adolescente é precioso, mas torna-se necessário dividir o tempo entre todos os afazeres, de modo que todos os campos sejam beneficiados de forma igual.

O educador tem o papel muito importante no sentido de ser um mediador, ou seja, a pessoa que contagia seu educando a gostar de ler e produzir textos demonstrando por seu exemplo e persistência.

Outro fator relevante e de grande importância é o apoio e incentivo demonstrado ao educando pela família, de modo que ele tenha êxito neste trabalho bem como condições que a escola oferece como biblioteca atualizada par que se concretize está prática no contexto escolar, estendendo-se ao familiar e social.

À medida que lê, o educando vai armazenando conhecimentos e amadurecendo, intensificando o processo de elaboração de seus conceitos e de sua visão de mundo.

A leitura nos traz um conhecimento muito amplo, assim como a concepção sobre leitura. É necessário reconhecer a importância da leitura na vida do ser humano, através da leitura diária de mundo, listar problemas decorrentes da falta do hábito da leitura em atividades práticas de produção textual; enumerar e estimular o educando de forma que sinta a necessidade de comunicar-se corretamente tanto na oralidade como na manifestação escrita; propor atividades práticas de acordo com a realidade, através das quais o educando possa perceber a falta que há em seu vocabulário no momento de redigir textos de acordo com as normas cultas.

Neste sentido a leitura oportuniza:
Ampliar no educando as possibilidades dos usos linguísticos da escrita, habilitando-as nos diferentes usos da linguagem escrita e oral numa perspectiva crítica, ou seja, formar o leitor e o produtor de todos tendo em vista o aprimoramento do exercício da cidadania. (LEITE, 2001, p. 29).
Portanto, entre muitos benefícios que a leitura apresenta para o educando, a escola deveria comprometer-se com sua prática habitual no contexto pedagógico assim, poder-se-ia esperar que através desse comportamento, o mesmo se estendesse no contexto familiar e social no qual o educando está inserido.

Convém que os educadores utilizem uma diversificação de matérias e textos de leitura os quais atendem às expectativas e necessidades dos educandos para que sua prática se fortaleça e tome corpo na vida do educando.
  Próxima

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Pedagogia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.