Artigos Pedagógicos
  Avaliação Educacional
  Escola Digital
  Educação a Distância
  Educação Inclusiva
  Educação Infantil
  Estrutura do Ensino
  Filosofia da Educação
  Jovens e Adultos
  Pedagogia Empresarial
  Outros Assuntos
 História da Educação
 Linhas Pedagógicas
 Metodologia Científica
 Projetos/Planejamento
 Biografias
 Textos dos usuários

 Listar Todas
 Por Níveis
  Educação Infantil
  Ensino Fundamental I
  Ensino Fundamental II
 Por Disciplinas
  Matemática
  Língua Portuguesa
  Ciências
  Estudos Sociais
  Língua Inglesa
  Língua Espanhola

 Jogos On-line
 Desenhos para Colorir
 Contos e Poesias

 Glossário
 Laifis de Educação
 Estatuto da Criança
 Indicação de Livros
 Links Úteis
 Publique seu Artigo
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

  
Atuação Docente no Processo de Ensino-Aprendizagem: os Desafios Pedagógicos nas Diversidades Socioculturais

Autor: Luciana Moro
Data: 02/02/2017
RESUMO

As diversidades sociais e culturais são hoje foco de discussão e preocupações nas instituições educacionais, inclusão e exclusão social na sociedade globalizada atual. Todo aluno tem sua identidade formada a partir da convivência familiar e social, e estas vão sofrer confronto no momento que irão conviver nos meios escolares, com outros grupos sociais, influenciando em novas formas de pensamento e personalidade dos indivíduos. Na maioria, as modalidades culturais estabelecidas a partir de padrões culturais e sociais levam a discriminações e preconceitos, tendo assim a necessidade de buscar no processo de ensino e aprendizagem, soluções que possibilitam amenizar e ou neutralizar relações de submissão e desconforto na escola. No entanto, docentes devem estar bem preparados e embasados para atuar nas diversidades encontradas nas escolas, e trabalhar como agentes que incluem com projetos pedagógicos e currículos escolares capazes de proporcionar avanços nas relações sociais, provocando o surgimento de novas relações interculturais capazes de unificar culturas e povos promovendo aprendizagens e igualdade de oportunidades para todos os indivíduos incluídos nos processos de educação escolares e não escolares.

Palavras-chave: Ensino, Aprendizagem e Diversidades Sociais.


INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem foco em reconhecer a importância a e relevância da temática em discussão, levando o professor a refletir e discutir a importância das suas ações diante das diversidades encontradas nas escolas, visando um processo de ensino e aprendizagem de valorização e de respeito ao ser humano em suas origens social, cultural e econômicas a fim de garantir educação de qualidade para todos, aprendizagens efetivas e significativas, ao mesmo tempo a permanência do aluno na escola, sendo que as praticas pedagógicas podem contribuir na construção do conhecimento e nas experiências vividas pelos alunos de maneira positiva e ou negativa conforme a individualidade de cada aluno, levando-as em toda sua vida escolar.

Buscar discutir de maneira objetiva o poder que o docente tem em cooperar e produzir uma pedagogia para a reconstrução social e individual, de tecer olhar crítico e impessoal, revendo valores, buscando novos paradigmas diante da necessidade da educação para a inclusão social e das multidiversidades encontradas na escola e na sociedade contemporânea em processos de exclusão e inclusão.

A metodologia será a pesquisa bibliográfica, recorrendo-se a estudiosos e autores, publicações sobre o assunto em documentos impressos como livros, artigos e teses. A pesquisa se organiza em dois momentos. No primeiro momento: A educação, aprendizagem e diversidades socioeconômicas e culturais, no segundo momento: a intencionalidade das ações pedagógicas - no processo de ensino e aprendizagem e diversidades sociais. De acordo com Gadotti (1992, p. 70) "Todo ser humano é capaz de aprender e de ensinar, e no processo de construção do conhecimento, todos os envolvidos aprendem e ensinam".

A educação tem como principio formar pessoas, constituir indivíduos e identidades, sendo que a pratica educativa deva se ocupar em promover o desenvolvimento cognitivo e a formação humana na subjetividade e identidade pessoal, o acolhimento à diversidade social e cultural preparando os para a cidadania, com autonomia e responsabilidade, primordial que a educação contemporânea consiga trabalhar num contexto social mais amplo.


EDUCAÇÃO, DIVERSIDADES E ENSINO-APRENDIZAGEM

A educação hoje é influenciada pelos avanços tecnológicos e a globalização, um novo olhar sobre o mundo. Portanto é indispensável que se mude o jeito de ensinar e aprender, correndo o risco de ações pedagógicas permanecerem no passado e não atender as perspectivas dos alunos.

Libanêo (1998), salienta que a nova escola precisa deixar de ser meramente uma agencia transmissora de informações e transformar num lugar de analise criticas e produção de informações, com atribuição de significados. Nesta escola os alunos aprendem a buscar informações e os elementos cognitivos para analisa-las criticamente e darem a ela significado pessoal, ou seja, internacionalizar instrumentos cognitivos (saber pensar), para obter uma educação básica de qualidade: formação geral, preparação para o uso da tecnologia, desenvolvimento das capacidades cognitivas e operativas, formação para o exercício da cidadania critica e formação ética.

A diversidade cultural vem sendo amplamente discutida dentro do processo de ensino e aprendizagem, porem as definições dão-se de formas variáveis como mutáveis. Para alguns essas diversidades são tão somente positivas referindo-as a um intercambio de riquezas e inerente a cultura do mundo, vinculadas a um processo de dialogo e troca. Para outros numa visão mais profunda originando fraturas e reinvindicações quanto a sua identidade.

A pesada herança da escravidão tem consequências de longo prazo para a evolução educacional, sendo imprescindível redefinir mudanças de tradições, valores e hábitos e ainda a resistência das elites tradicionais em estenderem a cidadania a este grupo e promoverem o ideal para a valorização da escolarização universal.

O conjunto de traços distintivos, espirituais e materiais, intelectuais e afetivos que caracterizam uma sociedade ou um grupo para além das artes, no seu modo de vida, nos direitos fundamentais do ser humano, nos sistemas de valores, as tradições e as crenças não pode ser apenas restritivas, mas de uma politica de consciência ao direito de igual dignidade no apanhado de conhecimentos e oportunidades.

A palavra diferença no sentido resume-se, que ainda que se modifique uma dada cultura permanece a mesma, faz necessário que se confere uma inflexão positiva a esta diferença social de modo que se descubra nela um incitamento para continuar a evoluir e mudar, desmistificando e propondo desafios para indivíduos e grupos gerir mais eficazmente a diversidade atentando para reforço da autonomia e interação cabível em nossas praticas educativas.

Nestas, as diversidades devem ser vistas não somente como preservação e herança do passado, mas como ferramenta de um projeto futuro de partilha de valores num contexto de dialogo intercultural, sendo que numa respeitosa fusão das igualdades e preservação das diferenças.

Em sociedades multiculturais cada vez mais complexas, a educação deve auxiliar-nos a adquirir as competências interculturais que nos permitam conviver com as nossas diferenças culturais e não apesar delas.(UNESCO, Relatório Mundial da, Investir na diversidade cultural e no dialogo intercultural).

Em Cortella (2001, p.57) o ambiente escolar proporciona uma experiência sociocultural insubstituível, não apenas por ser um espaço de convivência, de formação e informação, mas também porque lá há lugar para os sonhos, tristeza, compartilhamento, desejos, enfim.

Durante o processo de ensino e aprendizagem a criança adquire conhecimentos e através dele deve construir sua identidade, conhecer suas origens, sua historia como individuo de um grupo social e a conscientização quanto às injustiças sociais, preconceitos e discriminação, tendo compreensão de seu valor enquanto ser humano digno e também de respeito à individualidade do seu próximo.

É imprescindível que os educadores em suas praticas pedagógicas considerem as origens, condição cultural e a motivação de seus alunos, considerando que as necessidades educacionais, afetivas e cognitivas diferem-se, ou seja, cada aluno tem suas necessidades próprias e especificas. 

 A aprendizagem efetiva se dá quando ocorre troca mutua entre o ensinar e o aprender, tendo em vista que tanto o aluno quanto o professor devem estar verdadeiramente comprometidos com esse processo de ensino- aprendizagem, onde aprendem juntos independentemente das dificuldades e das diferenças que apresentam. Estas escolas devem reconhecer e satisfazer as necessidades diversas dos seus alunos, adaptando-se aos vários estilos e ritmos de aprendizagem, de modo a garantir um bom nível de educação para todos, através de currículos adequados, de uma boa organização escolar, de estratégias pedagógicas, de utilização de recursos e de cooperação com as respectivas comunidades inseridas no processo educacional.

Assim denominar como diversidade as diferentes condições étnicas e culturais, as desigualdades sociais e econômicas, as relações discriminatórias e excludentes presentes em nossas escolas e que compõem os diversos grupos sociais, tendo que cada vez mais tem aumentado à presença de alunos que historicamente tem sido excluído e ou marginalizados na escola, constituindo num espaço de grande diversidade.
    
  Próxima

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2017 Só Pedagogia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.